Home > G! ferramentas, facilitando o uso de Bentley Map

G! ferramentas, facilitando o uso de Bentley Map

NOTAS DE TRADUÇÃO: Por favor, leia alguns comentários no final deste post.

Alguns dias atrás eu comecei a um desenvolvimento em. NET, com o qual espero resolver limitação do Bentley Map com o seu Administrador Geoespacial. Para isso, eu peguei um velho aluno com o qual começou a egeomate com xfm quando ele saiu do Comal (*); degustar um bom cappuccino e um amaretto nós encontramos as mudanças que foram implementadas a partir de V8i no “Bentley Map Fundamentals“E “Bentley Map Administrator“.

Porquê

Isto é simples, Bentley quer ser um making GIS CAD, e apesar de ter uma boa aceitação em projetos cadastrais, deve quebrar a barreira que os usuários comuns têm quando são confrontados pela primeira vez com Bentley Map. Um usuário ESRI, Manifold ou AutoCAD Map, que quer fazer um projeto por conta própria, comprar o pacote com a distribuidora regional e depois de um tempo, depois de ler o manual dá conta que não sabe por onde começar.

Assim, para estes, trata G! Ferramentas para Bentley Map, Uma solução que espero ter pronto em um par de meses e que será executado em PowerMap, de modo que deve ser possível dar início a um projeto de Bentley Map, sem usar o Administrador Geoespacial. Uma das atrações é que ele traria um projeto de categorias de modelo, as camadas criadas, propriedades e um exemplo de um município com o qual o usuário decide tomar, alienar ou criar um novo. Por enquanto eu te mostrar uma clip image001210 G! tools, facilitating the use of Bentley Mappré-visualização:

Qual é a intenção

A idéia é que a parte inicial, um assistente que permite a partir de um modelo de projeto, a partir do lado do mapa, estrutura que exige sem ir a Geospatial Administrador. Algo assim como fazer a partir ArcMap o que é feito no ArcCatalog, de modo que a construção como camadas constitui uma lista xml estrutura para operar e ligar a dados externos.

Por isso eu já definiu cinco guias que me refiro neste exemplo:

Visão global: Aqui você seleciona o nome do projeto, arquivo de semente e as conexões de dados externas. Isso cria um esquema XML e uma área de trabalho do usuário, como: Assistente de Assessor, Que vai usar apenas uma série de camadas e não tudo isso, seria visto pelo chefe de departamento.

Categorias: Neste painel, você pode selecionar a partir de uma lista de categorias pré-definidas, aqueles de interesse, por exemplo cadastrais, hidrografia, estradas e administrativas. Também é possível criar novos.

Classes (recursos): A partir das categorias escolhidas, você pode selecionar as classes que irão envolver, por exemplo:

Na categoria cadastral, só serão escolhidos os blocos e camada de edifícios; da categoria hidrográfica machados apenas os rios e riachos, desde a camada de estradas, ruas e eixos da categoria administrativa, bairros, distritos, locais, e perímetro urbano.

Propriedades da classe: Aqui, tendo em conta as classes selecionadas, você pode definir ou modificar as propriedades específicas de cada classe, por exemplo:

A classe de edifícios: linha laranja, preenchimento amarelo, transparência de 50%, com o atributo e chave de endosso cadastral, esta mesma chave primária, fotografias rota e conectado via ODBC para a mesa avaluocat de um banco de dados MySQL e com a implantação de colunas, classe, qualidade , preços, etc

A classe perímetro urbano: linha de café, marrom claro preenchimento, espessura: 2, atributos: ano de adoção, área, perímetro, ano de projeção, as restrições públicas. As restrições associadas a um tipo de combinação domínio e com hyperlink em um documento.

É apenas um exemplo, enfim, o que deveríamos ter haverá categorias, classes e propriedades pronto para construir dados. Ele só iria ocupar o tempo para selecionar o que vai ser um trabalho na camada de edifícios, desenhar o objeto e no final elevar o formulário para inserir a valorização chave. … Apenas construí-lo!

Então, quando você consulta o objeto, eu levanto as propriedades de construção que existem nas colunas indicadas na tabela anexa, o link para fotos anexas, etc

clip image002146 G! tools, facilitating the use of Bentley MapO que mais

Por agora estou entretido com o assistente, mas seria procurado combinar as funções de GIS trazer com Bentley Map e desenvolver alguns que não são tão práticos. Sem esquecer que Geographics fez e continua a ser necessário, como a transferência, remoção ou colocando atributos, atualizar a área / perímetro do xml, ligue para o Google Earth, display de atributo …

É curioso que, como eu trabalho, eu percebo que Bentley pensou tudo quando se implementou xml no DGN V8, um grande fumar desde 2004, as questões deverão ser resolvidas no Be Together para que eu não sei se posso participar porque o convite formal chegou em desvantagem. Em seguida, ele foi implementado para Bentley Map que praticamente qualquer usuário de GIS ocupa, infelizmente, não na lógica funcional de um usuário não-especialista ou que vem de outra marca de software.

O desafio é interessante, digo-vos lá.

NOTAS tradução:

(*) fora da ComalÉ usado para dizer quando algo está liberado apenas.

 

 

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.